Artigo Extra 2

Nunca gostei de escrever coisas pessoais nesse meu pedaço de papel virtual, ou melhor dizendo, nunca gostei de escrever declaradamente sobre mim, pois eu seria um grande mentiroso se dissesse que nada que escrevo aqui pode ser transposto em minha vida, mas a subjetividade é sempre mais confortável na hora de se expressar. Nos últimos tempos fiquei muito desconexo da esfera dos blogs, tive a impressão de ser Marcos Pontes em sua viagem para o espaço, algo importante, mas podia ser evitado. Sabe quando você olha para sua vida e percebe que ela está da mesma forma há muito tempo e até suas extravagâncias entraram na rotina? Bom, se você não sabe vou dizer uma coisa é muito irritante. É como ver American Pie 6, você sabe tudo que vai acontecer e mesmo assim espera por um final diferente, só que ele nunca acontece. Resolvi mudar, cortei o cabelo indie que todos confundiam com emo, comprei um mp4 para suprir as falhas do meu celular rústico (outro ponto de um pseudo-indie), levei minha primeira suspensão no trabalho e depois pedi demissão, em poucos dias começa a trabalhar na biblioteca da minha faculdade, ganhei um dia a mais de descanso, tive uma inflamação no dedo, um ataque de gastrite, um porre jamais visto, tomei vacina para prevenir a gripe A, junto ainda tomei vacina da febre amarela e antitetânica, passei os melhores finais de semana que alguém podia ter, apresentei uns 15 seminários e fui expulso de uma boate. É minha vida saiu da rotina, tenho tempo, tenho amor, tenho estudo, tenho amigos, tenho paz, tenho criatividade, tenho boa musica, tenho baladas, tenho tudo que já tinha antes. Talvez nem tenha mudado tanto assim, mais só o fato de tentar mudar, já muda tudo. Nem que seja algo dentro da gente, nem que seja fictício.